segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Crítica de Leitor: «Promessa de Sangue»

«Dos três volumes, este é, sem dúvida, o melhor. Continua a levantar algumas questões, mas outras são respondidas, acerca dos hábitos e do porquê do funcionamento da Sociedade Vampírica.
Adorei a entrada de novas personagens e acredito que, num próximo volume, essas mesmo personagens vão ter um papel mais activo e vamos poder conhecê-las melhor.
Neste volume, nota-se uma vontade de mudança grande na sociedade, por parte das gerações mais novas.
Agora sim, depois de ler este 3º volume, fico com uma enorme vontade de ler o que se segue.»
Segredo dos Livros
 

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Crítica de Leitor: «Promessa de Sangue»

«É interessante a forma como Rose evolui de livro para livro, sem por isso perder as características que a definem. Continua presente um muito peculiar sentido de humor, uma noção de lealdade relativamente firme (tendo em conta as circunstâncias) e a determinação que, desde o primeiro volume, a tornou uma protagonista cativante. Até as más escolhas, ditadas por um temperamento algo impetuoso, acabam por contribuir para pôr em perspectiva as forças e vulnerabilidades de Rose. Mas houve também muito que mudou, e os acontecimentos do passado deixaram marcas que são evidentes. A perda e a saudade são claras, e bastante desenvolvidas, principalmente na fase inicial do livro.
Toda a situação entre Rose e Dimitri basta para criar uma boa dose de tensão e emoção, mantendo, por si só, uma base cativante para a narrativa. Mas, ao juntar a isto os desenvolvimentos a nível dos poderes dos Moroi e o que vai acontecendo - e mudando - na Academia, a autora constrói uma história um pouco mais completa, em que a distância não significa um afastamento total das experiências anteriores. Permanece, assim, o elo entre Rose e Lissa, uma ligação da qual novas características são agora desvendadas, mas que parece ter ainda mais para desenvolver.
Com a mesma escrita cativante dos volumes anteriores, e uma história que vai crescendo em intensidade a cada novo livro, Promessa de Sangue cativa pela história, marca pelo aspecto emocional e deixa muita curiosidade pelas muitas possibilidades em aberto na conclusão. Mais um bom livro numa série a seguir.»

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Crítica de Leitor: «Promessa de Sangue»

«Rose Hathaway deixou tudo para trás rumo à Rússia, com o coração desfeito mas extremamente decidida em encontrar o seu amado, Dimitri Belikov. Precisará, então, de todas as suas forças de modo a fazer o que está certo e cumprir com a promessa que em tempos fizera a Dimitri: se algum dia fosse transformado num Strigoi, queria uma estaca de prata espetada no coração, pois é preferível a morte a ser tal criatura das trevas. No entanto, como seria de esperar, esta busca revela-se bastante complicada, mas repleta de novas e incríveis descobertas.
As espectativas para este quarto volume da série eram algo elevadas e, apesar de Promessa de Sangue ser um pouco inferior ao volume anterior, estas não saíram furadas.
A leitura da presente obra foi bastante agradável, polvilhada de momentos cativantes e intrigantes que, por vezes, impediam de a largar. O facto de desta vez, o pano de fundo se dividir entre a Rússia e a Academia de São Vladimir, foi um factor que contribuiu positivamente para a história, bem como o surgimento de um novo leque de personagens que aparenta ter ainda muito para dar.
As personagens vão evoluindo e apesar de muitas delas serem adolescentes, têm diálogos perfeitamente normais sem aquele linguajar enervante, ao contrário do que se vê em muitos livros para “jovens adultos”. A própria escrita da autora, simples, não o é em demasia e não é excessiva no relembrar de certos aspectos passados.
Muito interessante também, foi continuar a acompanhar através da Rose todos os acontecimentos que ocorrem na Rússia ou do outro lado do oceano, graças à sua ligação com Lissa.
Se para este Promessa de Sangue, muitos eram os desenvolvimentos esperados, para o próximo volume nem se fala, pois é com espectativas redobradas que é aguardado.»
Rita Verdial, Bela Lugosi Is Dead

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Richelle Mead anuncia nascimento de bebé

Richelle Mead anunciou recentemente no seu blogue o nascimento do primeiro filho. Atarefada neste novo papel de mãe, a autora partilha a sua alegria com os leitores, assegurando que tanto ela como o bebé estão de perfeita saúde. Ler a notícia aqui.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Excerto: «Promessa de Sangue»

«Naquele momento, quando estava a pensar em aproximar-me do grupo de Moroi, uma das mulheres dhampir levantou-se da mesa e caminhou até ao bar. Os guardiães observaram-na, claro está, mas pareciam confiantes relativamente à sua segurança e estavam mais concentrados nos Moroi. Durante todo este tempo, pensei sempre que os homens Moroi seriam a melhor possibilidade de obter informação acerca da cidade de dhampirs e prostitutas de sangue – mas que melhor maneira poderia haver para descobrir essa localidade do que perguntando mesmo a uma prostituta de sangue?
            Levantei-me casualmente da minha mesa e aproximei-me do bar, como se também fosse pedir uma bebida. Deixei -me ficar por perto enquanto a mulher esperava pelo barman e estudei -a através da minha visão periférica. Ela era loira e usava um vestido comprido coberto por lantejoulas prateadas. Não consegui decidir se o vestido dela fazia com que o meu vestido justo preto de cetim parecesse elegante ou sensaborão. Todos os movimentos dela – mesmo a forma como se deixava estar simplesmente em pé – eram graciosos, como os de uma dançarina. O barman estava a atender outras pessoas e eu soube que era agora ou nunca. Inclinei-me para ela.
– Fala inglês?
Surpreendida, ela deu um salto e olhou para mim. Era mais velha do que eu estava à espera, estando a idade inteligentemente ocultada pela maquilhagem. Os seus olhos azuis avaliaram -me rapidamente, reconhecendo-me como dhampir.
– Sim – respondeu ela cautelosamente. Mesmo só uma palavra foi o suficiente para perceber a pronúncia carregada.
– Estou à procura de uma cidade… uma cidade onde vivem muitos dhampirs, lá na Sibéria. Sabe do que estou a falar? Tenho de encontrá-la.
Mais uma vez, ela estudou -me, e consegui ler a sua expressão. Podia muito bem ter sido uma guardiã, a avaliar pelo seu rosto imperscrutável. Talvez tivesse recebido algum tipo de treino a dada altura da sua vida.
– Não – respondeu secamente. – Deixe isso. – Virou -me as costas e o seu olhar regressou ao barman, enquanto ele preparava para alguém um cocktail azul adornado com cerejas.
Toquei-lhe no braço.
– Tenho mesmo de encontrá-la. Há um homem… – Engasguei-me com a palavra. Lá se ia o meu interrogatório sereno. Só o simples facto de pensar em Dimitri trazia-me o coração à garganta. Como é que podia sequer explicar a situação a esta mulher? Como explicar que estava a seguir uma pista improvável, em busca do homem que mais amava neste mundo, um homem que fora transformado em Strigoi e que eu agora tinha de matar? Naquela altura, ainda conseguia imaginar na perfeição o calor dos seus olhos castanhos e a forma como as suas mãos me costumavam tocar. Como é que conseguiria fazer aquilo que me forçara a atravessar um oceano para levar a cabo?
«Concentra-te, Rose. Concentra-te.»
A mulher dhampir dirigiu-me novamente o olhar.
– Ele não merece isso – disse ela, sem perceber o que eu quis dizer. Sem dúvida que pensou que eu era uma rapariga apaixonada, atrás de algum namorado, o que, suponho, até não estava longe da verdade. – És demasiado jovem… não é demasiado tarde para evitares tudo aquilo. – O rosto dela podia ser impassível, mas havia tristeza na sua voz. – Vai fazer outra coisa qualquer na tua vida. Mantém-te longe daquele sítio.
– Sabe onde fica! – exclamei, demasiado excitada para explicar que não queria ir para lá a fim de me tornar uma prostituta de sangue. – Por favor, tem de me dizer. Tenho de lá chegar!
– Há algum problema?
Voltámo-nos ambas e olhámos para o rosto feroz de um dos guardiães. Bolas. A mulher dhampir poderia não ser a prioridade deles, mas teriam reparado em alguém a importuná-la. O guardião era apenas um pouco mais velho do que eu e esbocei um sorriso doce. Podia não estar a sair do vestido como a outra mulher, mas sabia que a minha saia curta favorecia muito as minhas pernas. Certamente, nem mesmo um guardião seria imune a isso. Bem, ao que parecia, aquele era. A sua expressão dura mostrou-me que os meus encantos não estavam a funcionar. Ainda assim, pensei que o melhor seria tentar a minha sorte com ele e ver se conseguia obter informações.
– Estou a tentar encontrar uma cidade na Sibéria, uma cidade onde vivem dhampirs. Sabe onde fica?
Ele não pestanejou.
– Não.
Ótimo. Estavam ambos a fazer-se difíceis.
– Pois, está bem, talvez o seu patrão saiba? – perguntei, de forma reservada, na esperança de parecer uma aspirante a prostituta de sangue.
Se os dhampirs não quisessem falar, talvez um dos Moroi o fizesse.
– Talvez ele queira companhia e fale comigo.
– Ele já tem companhia – respondeu o guardião calmamente. – Não precisa de mais.
Eu mantive o sorriso estampado no rosto.
– Tem a certeza? – ronronei. – Talvez lhe devêssemos perguntar.
– Não – respondeu o guardião. Naquela simples palavra, ouvi o desafio e a ordem. «Afasta -te.» Ele não hesitaria em eliminar qualquer pessoa que considerasse uma ameaça para o seu senhor… nem que fosse uma modesta rapariga dhampir. Pensei em forçar um pouco mais, mas decidi rapidamente dar ouvidos ao aviso e, efetivamente, afastei -me.
Encolhi os ombros de forma despreocupada.
– É ele quem fica a perder.
Sem mais palavras, regressei casualmente à minha mesa, como se a rejeição não me importasse minimamente. Durante todo aquele tempo, sustive a respiração, quase à espera de que o guardião me arrastasse pelos cabelos para fora da discoteca. Isso não aconteceu. No entanto, enquanto pegava no casaco e deixava algum dinheiro na mesa, vi-o a olhar para mim, desconfiado e cauteloso.
Saí do Rouxinol com o mesmo ar descontraído, dirigindo-me para a rua movimentada. Era sábado à noite e havia muitas outras discotecas e muitos restaurantes nas redondezas. As pessoas que se dirigiam às festas enchiam as ruas, algumas vestidas tão elegantemente quanto os clientes habituais do Rouxinol; outras tinham a minha idade e vestiam-se de forma casual. As filas aglomeravam -se à porta das discotecas, de onde saía música de dança alta e palpitante com tons graves. Os restaurantes, com as suas grandes montras de vidro, desvendavam comensais elegantes e mesas ricamente postas. Enquanto atravessava a multidão, rodeada por conversas em russo, resisti à tentação de olhar para trás de mim. Não queria levantar mais suspeitas, no caso de o tal dhampir estar a observar-me.
No entanto, quando entrei numa rua calma que constituía um atalho para o meu hotel, consegui ouvir os suaves sons de passadas. Ao que parecia, tinha levantado suspeitas suficientes para o tal guardião ter decidido seguir -me. Bem, não havia qualquer hipótese de lhe dar uma oportunidade de levar a melhor. Podia ser mais pequena do que ele – e estar de vestido e saltos altos – mas já lutara contra muitos homens, incluindo alguns Strigoi. Conseguiria dar conta daquele tipo, principalmente se usasse o elemento surpresa. Depois de calcorrear este bairro durante tanto tempo, conhecia as ruas e as suas curvas bastante bem. Estuguei o passo e dobrei apressadamente algumas esquinas, uma das quais me levou para uma viela escura e deserta. Assustadora, era verdade, mas constituía um bom local para fazer uma emboscada, pelo que me escondi na entrada de um prédio. Tirei silenciosamente os sapatos de salto alto. Eram pretos com bonitas tirinhas de cabedal, mas não eram ideais para uma luta, a não ser que eu fizesse tenção de arrancar o olho a alguém com um salto. Na verdade, até nem seria má ideia. Contudo, não estava assim tão desesperada. Sem os sapatos, sentia o chão frio sob os meus pés nus, dado que tinha chovido horas antes.
Não tive de esperar muito tempo. Passados alguns segundos, ouvi as passadas e vi a sombra esguia do meu perseguidor a aparecer no chão, recortada pela luz tremeluzente de um poste de iluminação de uma rua adjacente.
[…]»

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Crítica de Leitor: «Academia de Vampiros»

«Com a febre dos vampiros ainda bastante presente na literatura juvenil actual, é sempre um risco – para alguém que verdadeiramente aprecie o tema – debruçar-se sobre qualquer obra que detenha uma faceta mais jovem e romântica assente na sinopse. No entanto, por vezes surgem surpresas. Muito boas surpresas, até. E isso deu-se com Vampire Academy, uma muito interessante estreia de Richelle Mead, que vem mostrar um lado diferente, mais enigmático, expansivo e hierárquico de uma espécie sobrenatural que deixou de ser imortal.
Embora inicialmente receosa, confesso não ter sido capaz de resistir por muito mais tempo. Assim que me deparei com a nova capa – uma reimpressão Contraponto para celebrar a segunda edição do livro – a vontade de simplesmente lhe pegar e me deixar afundar num universo de dentes aguçados, sangue destilado e tortura psíquica foi tão possante e intensa que continuar sem ceder foi impossível. Assim, tive de lhe pegar... e não poderia ter ficado mais satisfeita.

O aspecto que mais me agradou em toda a leitura foi a amizade presente entre as duas protagonistas – Rosemarie e Vasilisa. O laço que as une é fabuloso, estando tão bem descrito ao ponto de atingir o leitor que imediatamente se sente enfeitiçado pelo magnetismo partilhado entre as duas. É também o constante presenciar do real sentido e valor da amizade entre Rose e Lissa que espicaça o leitor a querer conhecê-las a fundo, a querer saber o verdadeiro motivo que levou à fuga de ambas e ao desespero de Rose em querer proteger a sua melhor amiga de tudo e de todos e, principalmente, em querer saber o segredo que claramente se percebe existir entre as duas... e que mais ninguém sabe.
A beleza no seu sentido mais puro, deste ponto forte da narrativa, está no facto de ser levada ao limite por inúmeras vezes, demonstrando uma persistente protecção de ambas as partes, com altos e baixos, com inimizades e controlos e excessos e avisos, e é essa aproximação do real que incita o leitor a prosseguir leitura, sempre curioso com a próxima etapa, o próximo obstáculo a colocar-se entre as duas ou nos seus caminhos.

As relações que as duas vão tecendo e aprofundando com algumas personagens secundárias são outro dos aspectos mais prezáveis da obra. Mead, ao descrever a um leitor absorto e em branco um mundo que é comum e que pouco de novo tem para oferecer às principais intervenientes que o habitam e conhecem, possibilita que a acção se vá desenrolando sem necessidade de se entrar em pormenores introdutórios excessivamente descritivos e maçadores usuais do início de uma série. Pelo contrário e uma vez que as protagonistas já frequentavam a Academia São Vladimir (onde ocorre quase toda a acção do livro), com a naturalidade dos acontecimentos o leitor toma consciência e conhecimento das várias personalidades participantes na trama, ligações e hostilidades existentes no meio apresentado através de ocorrências entre Rose e Lissa e essas personagens, o que por si oferece ao leitor uma sintonia muito mais segura e consciente para com tudo o que vai surgindo ao longo das páginas.

Christian foi uma personagem que me chamou a atenção logo de início, pelo seu lado misterioso, incompreendido e algo grosseiro e defensivo. Habituado a ser invisível, é a sua personalidade e a forma como encara os restantes Moroi Reais, como ele, que cativa o leitor. A sua indiferença para com os outros e interacção algo proibida com Lissa serve de igual moto de interesse, apelando ao bom senso e empatia do leitor.
Dimitri é outro dos intervenientes que destaco, pela sua perspectiva madura (é mais velho que a maioria) e inteiramente focada no que é essencial – como Dhampir é seu dever, acima de tudo, proteger o ou a Moroi para si designado, mesmo que isso exija colocar o amor em segundo plano.
Mia também apresentou luta, sobretudo por ser uma Moroi fora da Realeza e, como tal, sujeita a enfrentar a mesma crueldade que qualquer outro ser abaixo da grandeza. O seu ódio inicialmente inexplicável é tão forte e tão puro que as atrocidades que comete e que leva outros a igualmente orquestrar em resposta são simplesmente magníficas, levando o leitor à loucura de curiosidade.
Com aparições mais pequenas mas igualmente avassaladoras e importantes para o desenrolar da narrativa, faço menção a Mason, um grande amigo de Rose cujo amor não é correspondido, Victor pela perspicácia e surpresa final e Kirova pela rudeza e mão firme.

Não posso deixar de referir ainda a hierarquia estabelecida e algumas das características vampíricas atribuídas tanto aos Moroi e Dhampir como aos Strigoi. Os primeiros são os mais importantes e aqueles que ocupam os postos de maior relevo na sociedade. São também considerados os “reais” vampiros, aqueles que necessitam de sangue para sobreviver mas que não são imortais. Nascem, crescem e morrem, como qualquer um. Contudo, possuem uma união muito forte com um dos elementos da Natureza – Ar, Água, Fogo e Terra – que lhes permite executar alguns “truques” ora simpáticos ora ofensivos. Os Dhampir são como os Moroi com a diferença de não terem qualquer sintonia com nenhum elemento da Natureza nem de precisarem de sangue para sobreviver. No entanto, destacam-se pela agilidade física e incontornável competência na protecção e guarda da Raça Moroi. Quanto aos Strigoi – para mim, a raça mais atraente das três –, estes são imortais e possuem particularidades que só saberão deliciando-se com esta série.
Estes são somente alguns dos pormenores físicos e mentais que Richelle Mead conferiu aos seus sugadores de sangue, tornando-os especiais e muito menos infantis, mais responsáveis e destemidos, corajosos. Também ao não se cingir ao romance entre uma ou ambas as protagonistas e outras personagens faz com que toda a atenção vá para o terror que assombra e persegue o espírito de Lissa e a união mental que Lissa e Rose partilham entre si, consentindo que, mesmo sendo Academia de Vampiros narrada na pessoa de Rose, o leitor possa experienciar um pouco do que é estar na pele de Lissa.

Academia de Vampiros trata-se de uma aventura imperdível entre uma princesa da realeza bonita, simpática e social e a sua guardiã rebelde, segura de si e que não tem medo de arriscar. Não sendo excessivamente juvenil, esta é uma obra que, no seu sentido mais preciso, aborda temas importantes da nossa actualidade como o verdadeiro apreço da amizade, o suicídio e a auto-mutilação na adolescência e o proveito inconsequente que por vezes os adultos exercem nos mais jovens.
Uma estreia cativante, que agarra o leitor e que o acompanha numa linguagem simples e muito acessível. Uma peripécia do princípio ao fim, com incontáveis fugas, um elevado grau de suspense e descobertas e um misto adorável de romance, amizade e trabalho árduo.»

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Votação no facebook do filme

No facebook oficial do filme da Academia de Vampiros está a decorrer uma votação para os produtores saberem quais os actores e actrizes que os fãs gostariam de ver na pele das personagens da saga. Esta sondagem não vai determinar no entanto os actores escolhidos para interpretar os papéis principais, serve apenas para conhecer as preferências dos fãs. Agora é só ir lá, votar e torcer para que mesmo assim eles considerem algumas das hipóteses colocadas!

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Para abrir o apetite...

«Eu estava a ser seguida.
Era até irónico, tendo em conta que eu andara a seguir outras pessoas nas últimas semanas. Pelo menos, não era um Strigoi. Se fosse, eu já teria percebido. Recentemente descobrira outra sequela de ter sido beijada pelas sombras: a capacidade de pressentir os mortos-vivos (infelizmente, através de ataques de náuseas). Ainda assim, dava graças pelo sistema de alarme do meu corpo e fiquei aliviada por perceber que quem me perseguia, naquela noite, não era um vampiro estupidamente rápido e estupidamente mau. Nos últimos tempos, tivera de lutar contra vários dessa espécie e apetecia-me uma noite de folga.
Tive de pressupor que quem me perseguia era um dhampir como eu, provavelmente alguém do clube. No entanto, essa pessoa estava a mover-se, notoriamente, de um modo menos furtivo do que seria de esperar de um dhampir. Os passos eram claramente audíveis, ecoando no passeio das ruelas escuras que eu percorria e, uma vez, vislumbrei por breves instantes uma figura nas sombras. Ainda assim, tendo em conta as ações irrefletidas que tivera naquela noite, o mais provável era ser mesmo um dhampir.
[...]»


Promessa de Sangue
em setembro...


quinta-feira, 14 de julho de 2011

A sinopse de «Promessa de Sangue»

A saga continua e uma vez mais o amor tem de superar todas as dificuldades.

A vida de Rose Hathaway nunca mais será a mesma… O recente ataque à Academia São Vladimir devastou por completo o mundo dos Moroi. Muitos morreram e os poucos que foram levados com vida pelos Strigoi esperam um destino ainda pior… Porém, apenas uma vítima importa: Dimitri Belikov. Rose vai ter de escolher entre cumprir a sua promessa e proteger Lissa – a sua melhor amiga e a última das princesas Dragomir – ou abandonar a Academia e dar caça ao homem que ama.

Deverá Rose ir até ao fim do mundo para encontrar Dimitri e cumprir a promessa que ele lhe suplicou que fizesse? Terá ela força para destruir Dimitri ou irá sacrificar-se pela oportunidade de um amor eterno?

«Cativante.»
Booklist

«Excelente, misterioso e delicioso.»
Publishers Weekly

«A escrita de Mead melhora a cada livro, conseguindo manter e até aumentar a atenção dos leitores com reviravoltas inesperadas.»
The Associated Press

«Esta saga é, sem dúvida, uma das melhores do tipo. Ao longo dos livros, a história vai-se tornando mais intensa e mais viciante. A vida destas duas amigas é cada vez mais difícil e mais arriscada, à medida que o livro avança. Recomendo a qualquer um que goste de livros de vampiros esta saga que mostra uma maneira bastante diferente de ver os vampiros... Sem dúvida, muito bom...»
Segredo dos Livros

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Fórum português de «Academia de Vampiros»

Os fãs de Portugal da série «Academia de Vampiros» criaram um fórum onde se pode discutir tudo sobre a saga, as personagens, bem como a possível adaptação ao cinema. Convidamos os nossos leitores a conhecer o fórum e a participarem nas discussões. É por aqui: http://academiavampiros.forumeiros.com/

terça-feira, 14 de junho de 2011

Nova capa do 1.º volume

Esta é a nova capa do primeiro volume da série Academia de Vampiros, a ser relançado em Setembro. Em breve revelaremos em primeira mão a capa do ansiado 4.º volume com lançamento previsto também para Setembro.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Novíssimas imagens da novela gráfica

Richelle Mead divulgou novas imagens da novela gráfica de «Academia de Vampiros» prestes a ser lançada nos EUA.




Looking good!
;-)

terça-feira, 24 de maio de 2011

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Imagens da novela gráfica

A USA Today divulgou imagens da novela gráfica da Academia de Vampiros. Podem vê-las aqui!

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Notícias sobre Richelle

Richelle anunciou no seu blogue que está grávida de um rapaz e que o marido está a preparar tudo para a chegada do bebé, prevista para Agosto.

Há pouco tempo Richelle resolveu partilhar uma história que aconteceu com uns vizinhos misteriosos (a autora acha que são antigos agentes da KGB!) Nós deixamos aqui o link.

terça-feira, 29 de março de 2011

Série Academia de Vampiros nomeada

A série Academia de Vampiros está nomeada como livro favorito para os prémios Nickelodeon Kids Choice Awards. A cerimónia decorrerá no dia 2 de Abril, nos EUA.

Vampire Academy: The Ultimate Guide

Richelle Mead anunciou recentemente no seu blogue que será lançado nos EUA, em Novembro, o livro Vampire Academy: The Ultimate Guide, com descrições detalhadas de todas as personagens, histórias e extras sobre o mundo dos livros da Academia de Vampiros.

Será um bom complemento para todos aqueles que seguem esta série fantástica.

terça-feira, 22 de março de 2011

Vencedor do passatempo «Academia de Vampiros» anunciado

O grande vencedor do passatempo «Academia de Vampiros», em que o prémio era um pack dos três primeiros volumes da série, já foi anunciado no blogue da Contraponto. Muitos parabéns!

segunda-feira, 14 de março de 2011

Academia de Vampiros - O Filme - Que actores?

Propomos um desafio aos nossos leitores. Trata-se de um assunto que vai sendo falado nos comentários e gostaríamos agora de o trazer à ribalta:

Que actores gostariam que fossem escolhidos para interpretar os papéis das personagens da Academia de Vampiros? Acham que deviam ser actores desconhecidos, talentos por descobrir, ou actores já conhecidos? Ou uma mistura dos dois?

No caso de serem actores já conhecidos, quais?

Aguardamos pelas vossas ideias com curiosidade.

quinta-feira, 3 de março de 2011

Passatempo no blogue Contraponto

Saiba aqui como habilitar-se a ganhar um pack dos três primeiros volumes da Academia de Vampiros.

terça-feira, 1 de março de 2011

Spin-off de Academia de Vampiros

Após o lançamento do último livro da série Academia de Vampiros nos EUA, intitulado Last Sacrifice, Richelle Mead lança em Agosto o primeiro livro spin-off da série, que se chama Bloodlines, centrado na personagem Sydney, uma alquimista humana. Aqui fica a capa americana:




E para saber mais sobre a nova série podem espreitar o site oficial: http://www.bloodlinesseries.com/

Quanto à novela gráfica, também já começam a aparecer algumas imagens das ilustrações e parecem interessantes!




Por último, Richelle Mead anunciou recentemente no seu blogue que está grávida! Com tantos novos projectos, este será com certeza o mais importante da sua vida. A Contraponto deseja os parabéns à autora e felicidades!

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Fan Art

Apresentamos aqui alguma fan art que vai aparecendo na web.

O primeiro podia ser um cartaz do filme!



O segundo é uma ilustração do género manga.




segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

AV 4 em Setembro

Boas notícias!
O 4.º volume da Academia de Vampiros, cujo título em inglês é Blood Promise, já tem data de lançamento em Portugal.

Setembro

Ainda faltam alguns meses, mas entretanto continuaremos a publicar no blogue todas as novidades acerca desta série, bem como da sua possível adaptação ao cinema.

Estejam atentos.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Richelle Mead no facebook

Se quiserem acompanhar a autora de perto, sugerimos que Gostem da sua página no facebook, onde Richelle partilha pensamentos e curiosidades acerca dos novos livros ou simplesmente sobre trivialidades do dia-a-dia.

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Academia de Vampiros - A novela gráfica

Olá, fãs da Academia de Vampiros!

Antes de mais agradecemos a adesão à nossa sondagem. Parece que Dimitri ganha esmagadoramente sobre Adrian, pelo menos até ao momento. Nós ainda achamos que, apesar de tudo, Adrian tem o seu encanto.

Quanto a notícias, para quem ainda não conhece, a Academia de Vampiros vai ser lançada em versão novela gráfica. A capa já circula na Internet e o lançamento está previsto para Agosto de 2011, nos EUA.

Mantendo as cores e o portão da capa original, pode apreciar-se alguma da arte que encontraremos no interior com a apresentação das personagens principais.

Nós achamos que a capa ficou bonita e vocês?

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Queremos saber...

Qual dos dois mais promissores pretendentes de Rose preferem?
A escolha parece difícil. Adrian é sedutor, bonito, sexy e cativante. Dimitri é forte, romântico, protector e apaixonado. Quem é Team Adrian e quem é Team Dimitri? E porquê, já agora?
Lançamos a sondagem na coluna da esquerda e a discussão neste post.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Richelle Mead vencedora de um Goodreads Choice Award

Richelle Mead foi distinguida na categoria de Goodreads Author, que homenageia autores publicados que se inscreveram no site goodreads.com para se conectarem com os seus fãs. As outras autoras nomeadas eram Cassandra Clare (Clockwork Angel) e Emma Donoghue (Room).

Numa iniciativa organizada pelo site goodreads.com e patrocinada pela Sony através do seu leitor digital de e-books, o Sony Reader, os Goodreads Choice Awards 2010 premeiam os livros e autores mais comentados pelos amantes da leitura durante o ano naquela comunidade online.

.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Crítica: «O Beijo das Sombras»

«Terceiro volume da série Academia de Vampiros (Academia de Vampiros, O Beijo Gelado) dá continuidade às aventuras e desventuras das amigas Rose e Lissa, uma noviça Damphir e uma Moroi da realeza.
Para Rose Hathaway a formatura aproxima-se a passos largos. Dentro de poucas semanas pode, finalmente, ver cumprido o objectivo de se tornar na guardiã da sua melhor amiga Lissa.
Contudo, ao contrário do que seria de esperar, o seu estágio não começa nada bem. A atribuição do Moroi a proteger durante o mesmo, não é a esperada e como se não bastasse, Rose pensa que enlouquece quando começa a avistar fantasmas. Além de tudo isto, esta promissora Damphir, tem ainda de lidar com a sua complicada relação com Dimitri e com a possibilidade do seu inimigo Victor Dashkov sair em liberdade.
Entretanto, Lissa Dragomir prossegue a sua busca por informação acerca do elemento espírito, no qual se especializou, e troca conhecimentos e truques com Adrian Ivashkov, o mais recente utilizador do espírito descoberto.
A leitura de O Beijo das Sombras revelou-se uma agradável surpresa. As expectativas não eram muitas, tendo em conta os dois volumes anteriores. O arranque foi um pouco lento, mas a pouco e pouco o ritmo foi aumentando e tornou-se cada vez mais difícil largar esta obra. O interesse no enredo aumentou, a sua previsibilidade diminuiu e as personagens sofreram uma evolução significativa.
Apesar de substancialmente melhor, este continua a ser um livro de alguma simplicidade, cujo principal objectivo se foca no entretenimento do leitor. No entanto, devido às melhorias acima referidas é esperado um aumento de complexidade nos volumes vindouros.
É de lamentar contudo, uma falta de atenção considerável na revisão deste livro, pois muitas foram as gralhas encontradas no decorrer da sua leitura.
O Beijo das Sombras é sem dúvida um livro muito agradável, que abre caminho para um desenrolar da série bastante interessante e convidativo.»
Rita Verdial, blogue Bela Lugosi Is Dead, 2010

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Entrevista com a Preger Entertainment

Michael Preger, da Preger Entertainment (produtora que comprou os direitos de adaptação ao cinema da série Academia de Vampiros), deu uma entrevista exclusiva ao site shadowkissed.com.
Para ler aqui.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Excerto de "O Beijo das Sombras"

«UM

As pontas dos seus dedos deslizaram pelas minhas costas, quase sem exercerem qualquer pressão, mas enviando, mesmo assim, ondas de choque pelo meu corpo. Lentamente, muito lentamente, as mãos dele moveram-se pela minha pele, desceram pelos meus flancos e descansaram finalmente nas curvas das minhas ancas. Mesmo abaixo da orelha, senti os seus lábios a pressionarem o meu pescoço, ao que se seguiu outro beijo mesmo abaixo e mais outro e outro ainda…
Os lábios dele passaram do meu pescoço para a minha face e, por fim, encontraram a minha boca. Beijámo-nos e aconchegámo-nos mais um ao outro. O meu sangue ardia dentro de mim e senti-me mais viva naquele momento do que alguma vez me sentira. Amava-o, amava Christian tanto, que…
Christian?
Oh, não!
Uma luzinha de coerência em mim apercebeu-se imediatamente do que estava a acontecer – e como fiquei irritada! De resto, no entanto, ainda estava a vivenciar este encontro, a senti-lo como se fosse eu que estivesse a ser tocada e beijada. Essa parte de mim não se conseguia afastar. Fundira-me demasiado com Lissa e, para todos os efeitos, isto estava mesmo a acontecer-me a mim.
«Não», disse asperamente a mim própria. «Não é real – pelo menos, para ti. Sai daí.»
Porém, como é que eu ia ouvir um argumento lógico quando cada um dos nervos do meu corpo estava a arder?
«Tu não és ela. Isto não é a tua cabeça. Sai daí.»
Os lábios dele. Não havia nada no mundo neste momento a não ser os lábios dele.
«Não é ele. Sai daí.»
Os beijos eram o mesmo, exactamente como me lembrava com ele…
«Não, não é o Dimitri. Sai daí!»
O nome de Dimitri foi como um balde de água fria a atingir-me no rosto. Saí imediatamente.
Sentei-me direita na minha cama, sentindo-me subitamente abafada. Tentei atirar as cobertas para trás, mas acabei por enredar ainda mais as minhas pernas. Sentindo o coração a bater com força no peito, tentei respirar fundo para me acalmar e regressar à minha própria realidade.
[...]»

O blogue Esmiuça o Livro recomenda...

A saga Academia de Vampiros!

Ler aqui.

Nós agradecemos!